NOTÍCIA VOLTAR

30 outubro 2019

A direção do sindicato tem recebido várias reclamações dos trabalhadores, após saberem que a Energisa está preparando um “acordo” individual de banco de horas, embora o assunto não seja nenhuma novidade para esta entidade, que vem alertando a categoria quanto a essa pretensão da empresa há alguns anos, e tem se intensificado após a reforma trabalhista. A mudança na legislação favorece as empresas a praticarem um banco de horas, a Energisa Tocantins, se valendo das reformas favoráveis, do “excelente clima” com seus trabalhadores, procura sugar ainda mais o seu capital humano e usar essa força trabalho, podendo compensar com folga até seis meses depois da hora realizada. O STEET continuará na luta por uma remuneração mais digna dessa mão de obra, principalmente na condição extraordinária, onde a implantação de um banco virá na contramão dos nossos anseios, podendo aumentar o trabalho extraordinário e diminuir a remuneração, e ainda com reflexo negativo nas verbas salariais como: Férias, Décimo Terceiro, FGTS, podendo prejudicar até na aposentadoria.

Às vezes em que fomos abordados pela empresa sobre o assunto, antes da reforma o sindicato segurou, em hipotese alguma admitiu essa  implantação, por entender que só interessa a empresa, após a reforma o STEET tem se posicionado a defender um banco menos danoso ao trabalhador, com condições menos grave que as estabelecidas na lei.

Diante dessa situação a direção do sindicato orienta aos trabalhadores que não assinem esse acordo individual de banco de horas, sem que haja uma ampla discussão sobre o assunto com a categoria envolvendo o sindicato.

 

Francisco Pereira da Conceição

 Diretor Presidente

UNIDOS AVANÇAREMOS!