NOTÍCIA VOLTAR

23 junho 2017

 A direção do Steet realizou entre os dias 12 e 22, Assembleia Extraordinária Permanente com o fim de apresentar aos trabalhadores a proposta da Energisa Tocantins para renovação das cláusulas econômicas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Foi realizada assembleia nos maiores polos de serviços; Gurupi, Paraíso do Tocantins, Guaraí, Araguaína, Augustinópolis, Colinas, Dianópolis, Porto Nacional e Palmas (Centro de Manutenção/Almoxarifado/Adm. Central).

 

A proposta da ETO relativa às cláusulas econômicas do Acordo Coletivo foi rejeitada por 92,21% dos trabalhadores que participaram da assembleia.

 

 

A proposta da ETO consiste na aplicação do índice inflacionário medido pelo INPC/IBGE para o período que é 3,99%, tanto para correção dos salários como para todas as demais cláusulas de cunho econômico. Se não bastasse essa pífia proposta, a empresa tenta ainda impor a seus trabalhadores um “Banco de Horas”, que resultará na diminuição de suas remunerações.

 

A direção do sindicato pôde confirmar nesse período de assembleia, o sentimento de insatisfação dos empregados e o clamor de todos para que a empresa insira em sua política de valorização das pessoas, o atendimento às suas reivindicações.

 

Mesa de negociação

Já nesta sexta-feira, 23, após a assembleia, a direção do sindicato voltou a se reunir com os representantes da empresa, quando informou o resultado da assembleia e se colocou à disposição para a retomada da mesa de negociação com o objetivo de construir uma proposta que atenda o mínimo dos anseios dos trabalhadores, porém, a empresa não cedeu.

 

Na reunião, a Energisa apresentou uma “nova proposta”, qual seja: além do reajuste de 3,99% em todas as cláusulas (salários e benefícios), ofereceu um aumento acima da inflação no ticket alimentação de R$ 2,00. Isso mesmo, ganho real de apenas R$ 2,00!

Com certeza a direção do sindicato nem considerou essa “proposta”, como isso, ficou ajustado que haverá nova reunião para continuidade do processo de negociação no dia 04 de julho.

 

 

A assembleia deliberou que caso não haja avanço na proposta da empresa, será deflagrada paralisação de um dia, o que ocorrerá, caso necessário, no dia 05 de julho.

 

 

A direção do sindicato entende que essa é a hora de todos acolherem a decisão da maioria, externada na assembleia e se unirem em torno do interesse comum que é a luta pela manutenção das conquistas, incluindo reajuste no salário e benefícios.

 

Resultado da votação da proposta na assembleia

LOCAL DA ASSEMBLEIA

APROVAÇÃO

REJEIÇÃO

TOTAL

PALMAS CMAN

3

32

35

PALMAS ALMOXARIFADO

-

22

22

PALMAS ADM. CENTRAL

15

142

157

PARAISO DO TOCANTINS

2

27

29

PORTO NACIONAL

2

21

23

GUARAÍ

1

14

15

AUGUSTINÓPLIS

-

11

11

ARAGUAINA

7

62

69

COLINAS

-

10

10

GURUPI

3

39

42

DIANÓPOLIS

-

11

11

TOTAL GERAL VOTOS

33

391

424

RESULTADO EM PERCENTUAL  

7,79

92,21

100,00