NOTÍCIA VOLTAR

14 maio 2014

Trabalhadores da Energisa suspendem greve após decisão judicial

Os trabalhadores da Energisa decidiram em Assembleia Geral realizada, na manhã desta segunda-feira (12), na sede da empresa, em Campina Grande, suspender o movimento grevista que começou na última segunda-feira (5).

 

A greve que durou mais de cinco dias consecutivos e contou com a paralisação de cerca de 2000 funcionários em todo o Estado da Paraíba, foi suspensa após a decisão da Justiça do Trabalho que entendeu que a GREVE é LEGAL, mas, por outro lado, determinou que 70% dos trabalhadores retornassem ao trabalho.

 

Essa medida, impôs a categoria um enfraquecimento do movimento, visto que muitos funcionários foram praticamente forçados a retornarem as suas atividades laborais, sob pena de uma multa de 50 mil reais ao Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb).

 

Após a decisão da justiça, o Stiupb se reuniu com a direção da Energisa e apresentou sete reivindicações, foram elas: 1) abonar o ponto dos trabalhadores de todas as cidades onde ocorreu greve, 2) entregar todos os dados referentes dos resultados das PLR’s dos últimos cincos anos, 3) a empresa se comprometer a ampliar o credenciamento dos restaurantes em todo o Estado, 4) a Energisa extinguir a prática de banco de horas, 5) a garantia do descanso de 2 horas e 15 minutos para quem trabalha em jornada ininterrupta, 6) negociar com o sindicato toda e qualquer alteração nos horários que antecede os feriados, 7) a empresa fornecer mais dois tickets alimentação, totalizando R$ 1.280, a ser pago no dia 25 de maio, para evitar a judicialização acerca da PLR/2013.

 

A Energisa se comprometeu a responder a pauta enviada pelo Stiupb no próximo dia 15, às 10h, na sede da EBO em Campina Grande. Caso as reivindicações não sejam atendidas, o Sindicato dos Urbanitários e os trabalhadores realizarão uma nova assembleia para decidirem se retornam ou não a greve.

 

Segundo o presidente do Stiupb, Wilton Maia Velez, a greve termina com a certeza de que hoje a classe trabalhadora é muito mais forte do que antes. “Quero parabenizar  toda à categoria que apoiou a direção do Stiupb e recebeu de braços abertos o Movimento Luta de Clases que junto com os trabalhadores em João Pessoa organizaram a greve na Capital paraibana”, comentou.
 
Fonte: STIU - PB