NOTÍCIA VOLTAR

07 maio 2014

Paralisação na ENERGISA continua , PLR R$ 1.183,00 um absurdo!

Trabalhadores da Energisa em Campina Grande, Patos, Guarabira e Sousa aderiram à paralisação deflagrada nesta segunda-feira, dia 05, pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (STIUPB) e que contou com o apoio do Movimento Luta de Classes, bem como da diretoria do Sindlimp , do SINTAB e do Movimento de Atingidos por Barragens.

 

A atividade de paralisação teve início nas primeiras horas da manhã e contou com mobilização nas portas da empresa com utilização de carro de som, faixas, bandeiras e discursos de lideranças do sindicato, o movimento começou às 07:00h e permaneceu durante todo o de hoje.

 

Para a Diretoria do STIUPB, essa paralisação diz respeito à falta de diálogo por parte da direção da Energisa, pois , a empresa já desmarcou três reuniões que haviam sido marcadas com o sindicato para discutir a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) 2014 para os trabalhadores, bem como, questões relacionadas à intrajornada que também estão sendo alvo de problemas, uma vez que os trabalhadores têm duas horas para sua refeição, mas a Energisa tem desrespeitado esse tempo.

 

O STIUPB também está cobrando uma melhoria no Vale Refeição, visto que esse beneficio tem sido prejudicado, pois, em vários locais falta a expansão no credenciamento de estabelecimentos que aceitem o Vale Refeição fornecido pela Energisa.

Essa paralisação de advertência se estenderá até o dia 06/05, pois estamos lutando para que as reivindicações apresentadas pelos trabalhadores sejam atendidas.

 

A representante da Energisa que esteve presente na assembléia realizada em Campina Grande, durante a tarde de hoje, a Empresa apresentou o valor da PLR 2013, R$ 1,183,00 que será pago no próximo dia 09/05, contudo, Diretoria do STIUPB mais uma vez  propôs que a Energisa apresente o resultado da apuração consolidada  dos itens que compõe a cesta de indicadores EPB/EBO referente a 2013 , bem como, o inicio das negociações da PLR 2014; solução dos problemas referente aos Vales Rotas, que continuam sem estabelecimentos credenciados em várias localidades e por fim, que seja cumprido na integralidade do direito do descanso para o descanso para o almoço.

 

Fonte: STIUPB